Ter um orçamento equilibrado em 2024 pode parecer difícil, atendendo às dificuldades sentidas  este ano. Mas há estratégias e algumas medidas que podem ajudar.

O ano 2023 fica marcado pelo aumento da inflação, pelo agravamento da qualidade de vida e pela diminuição da capacidade económica de muitas famílias.

Este foi um ano difícil. Durante este ano, a DECO apoiou as famílias nos seus desafios diários, de evitar a rutura das suas finanças pessoais. As dificuldades foram sentidas de modo diferente consoante as características das famílias, em particular o seu nível de rendimento e de poupança.

São as famílias com rendimentos mais baixos e/ou com taxas de esforço mais elevadas com a habitação as mais penalizadas.

Famílias mais resilientes financeiramente

O ano de 2024 ainda não será um ano fácil para as famílias. Os seus orçamentos continuarão pressionados pela inflação e pela despesa da habitação.

√Č necess√°rio continuar a acompanhar as fam√≠lias na sua labuta de se tornarem mais resilientes financeiramente e incentiv√°-las a:

  • Fazerem o levantamento das receitas;
  • Anotarem todas as despesas;
  • Fazerem contas;
  • Cumprirem os prazos de pagamento;
  • Renegociarem¬† contratos;
  • Aplicarem as suas poupan√ßas.

 

Mas, para além destes comportamentos, é importante conhecer se existem outras estratégias para reduzir custos, de aceder a bens essenciais a custos menores ou mesmo de beneficiar de apoios. Exige-se melhor e mais acesso a informação sobre esta matéria, que, nem sempre, está acessível a todos os consumidores.

Acompanhe diariamente as dicas da DECO

e construa um orçamento familiar ajustado às necessidades do novo ano.

1# Comece por fazer o seu diagnostico financeiro

Se j√° faz o¬† or√ßamento familiar¬† aproveite o inicio do ano para fazer o seu diagnostico financeiro. Um ¬†bom diagn√≥stico financeiro¬† permite-lhe ver como est√° a sa√ļde das suas finan√ßas. E caso se verifique algum problema pode comparar-se ao diagn√≥stico precoce de uma doen√ßa, a qual, quando detetada a tempo, ser√° mais f√°cil de curar.

Não se esqueça que fazer  orçamento familiar permite controlar como e onde está a gastar o seu dinheiro. Desta forma, conseguirá criar regras, eliminar excessos e acompanhar todas as suas estratégias e objetivos financeiros.

 

Fórmula  50/30/20

Se não sabe como gerir o orçamento familiar  pode utilizar a Fórmula  50/30/20:

    • 50% do or√ßamento deve ter como objetivo os gastos essenciais e fixos todos os meses (rendas ou presta√ß√Ķes do cr√©dito √† habita√ß√£o, alimenta√ß√£o, transportes, √°gua, luz, g√°s, telecomunica√ß√Ķes).
    • 30%, no m√°ximo, pode ser alocado a gastos n√£o essenciais, como viagens, compra de roupas ou refei√ß√Ķes fora.
    • 20%, no m√≠nimo, deve ser guardado para colocar em poupan√ßas ou fazer investimentos financeiros. No caso de ter d√≠vidas, esta percentagem deve ser utilizada para as amortizar ou liquidar.

 

Mais informação: O orçamento familiar

2# Reforce o Fundo de Emergência

Ter um Fundo de Emerg√™ncia √© decisivo para assegurar a sua estabilidade financeira caso surjam imprevistos, seja desemprego, cuidados de sa√ļde ou at√© pequenas repara√ß√Ķes na sua casa.

O seu fundo de emergência deverá ter um valor que lhe permita suportar o equivalente entre 6 e 12 meses de despesas mensais.

 

3# Tenha atenção à sua taxa de esforço

Em regra a taxa de esfoi√ßo √© a rela√ß√£o entre as presta√ß√Ķes dos cr√©ditos e o rendimento mensal de um agregado familiar. √Č a parte do rendimento, que n√£o deve ser superior a 35%¬† que fica afeto √†s presta√ß√Ķes dos cr√©ditos.

Mas cada vez mais temos que ter atenção a outras taxas de esforço.

 

Taxa de esforço com a habitação e crédito | Fórmula 28/36

Esta regra sugere que n√£o deve gastar mais de 28% do or√ßamento nas despesas fixas relacionadas com a habita√ß√£o, como as presta√ß√Ķes mensais, seguros, juros e impostos. Todas as outras despesas e responsabilidades mensais de habita√ß√£o, autom√≥vel, cr√©ditos ao consumo e cart√£o de cr√©dito deve ser no limite de 36% do seu or√ßamento.

4# Tenha atenção aos pequenos gestos

Existem  pequenos gestos no dia a dia, que em regra todos conhecemos, mas que nem sempre implementamos, mas que no final do mês fazem a diferença:

  • N√£o deixe torneiras abertas e evite banhos longos;
  • Evite lavar m√°quinas de roupa com pouca carga;
  • N√£o deixe as luzes ligadas desnecessariamente;
  • Opte por eletrodom√©sticos eficientes;
  • Use l√Ęmpadas econ√≥micas;
  • Evite deixar o bot√£o stand-by dos aparelhos ligado;
  • N√£o desperdice alimentos;
  • Reaproveite o que for poss√≠vel.

 

5# Analise todos os seus os contratos e conheça o mercado

Em casa todos¬† temos v√°rios contratos desde as telecomunica√ß√Ķes √† energia. Mas,, muitas vezes¬† n√£o¬† sabemos¬† se o que temos √© o¬† se adequa melhor √†s nossas¬† necessidades, ou¬† se √© o melhor que o mercado oferece. √Č importante analisar o que temos contratado e o que efetivamente necessitamos, depois devemos analisar o mercado e o que nos oferece. De seguida renegociar √© a palavra que se imp√Ķe.

 

6# Analise a sua carteira de seguros

√Č importante que analise a sua carteira de seguros. Analise¬† as condi√ß√Ķes do seu seguro de vida,¬† do multirrisco, de sa√ļde, do autom√≥vel. Caso note que est√° a pagar um pre√ßo demasiado elevado em rela√ß√£o aos valores do¬† mercado, deve come√ßar por¬† negociar com a sua seguradora.¬†¬†N√£o se esque√ßa de pedir para excluir coberturas de que n√£o precisa e negoceie o valor da ap√≥lice. Pode, tamb√©m, avaliar mudar de seguradora.

 

7#  Tenha atenção aos gastos com o automóvel

Utilizar o¬† autom√≥vel, por mais c√īmodo que seja¬† importa ¬†muitas despesas,¬† avarias e manuten√ß√£o, al√©m do consumo de combust√≠vel, por isso nas ¬†desloca√ß√Ķes curtas, √© recomend√°vel¬† que tente ir a p√©. √Č um bom conselho, poupa algum dinheiro,¬† faz exerc√≠cio fisco e ainda ajuda o ambiente.

 

Comprar um automóvel | Fórmula 20/4/10

Esta fórmula pretende ajudar  a controlar  gastos excessivos com o crédito automóvel, estabelecendo limites de gastos e prazo do crédito, sendo recomendado que:

  • No m√°ximo, pague ao in√≠cio at√© 20% dos seus recursos.
  • De forma a reduzir o impacto que os juros possam causar, o empr√©stimo n√£o deve exceder os 4 anos.
  • Os gastos com o carro, como seguro, combust√≠vel ou presta√ß√£o, n√£o devem ser superiores a 10% do or√ßamento mensal bruto.

 

8# Organize melhor os seus impostos

√Č fundamental conhecer o calend√°rio fiscal ou, pelo menos, ter uma ideia das datas mais relevantes. Assim,¬† pode preparar o seu or√ßamento para o pagamento dos impostos, por exemplo o IRS, IMI e IUC.

 

No site da AT pode encontrar uma agenda fiscal com as obriga√ß√Ķes declarativas e de pagamento para particulares e pode validar regularmente as faturas pendentes no E-Fatura e maximize os benef√≠cios fiscais que poder√° aproveitar em sede de IRS .

 

 

9# Acabe com algumas dívidas

Um dos objetivos para 2024 pode ser o de juntar dinheiro e amortizar a dívida do cartão de crédito. Não é necessário acabar com o cartão de crédito, a modalidade de pagamento é que deve ser alterada para 100%.

 

 

 10# Definir  estratégias para fazer crescer o seu dinheiro

Analise  os seus investimentos, o seu desempenho em função das estratégias  e os objetivos previamente definidos. Se não definiu qualquer estratégia de investimento das suas poupanças, está na hora de o fazer. Trace metas concretas de investimento para 2024.  Não se esqueça que a sua carteira deve ser diversificada  isto para que fique mais protegida perante a incerteza dos mercados.

 

Conhece a regra dos 72?

Esta  diz-lhe quantos anos serão necessários para duplicar o dinheiro que tem poupado ou investido, a uma determinada taxa de juro quando considera um juro composto.

72 / Taxa de juro = N√ļmero de anos necess√°rios para duplicar o capital

Ou seja, para saber o n√ļmero de anos necess√°rios para duplicar o dinheiro que tem no banco, em dep√≥sitos, em seguros de capitaliza√ß√£o, em obriga√ß√Ķes e outros, basta dividir o n√ļmero 72 pela taxa de juro que recebe.

 

11#  Planear a reforma

A poupança para a reforma  deve ser encarada  tendo em conta duas perfectivas:  por um lado a sua  situação financeira  e por outro o facto de ser um processo extremamente longo, ou seja, uma maratona e não um sprint. Assim, deve definir regras de poupanças programadas adequadas às suas possibilidades  de modo a criar uma almofada financeira para o futuro.

 

Poupar para a reforma | Regra dos 10%

A Regra dos 10% √© uma regra tradicional, simples e f√°cil de p√īr em pr√°tica. Para tal, alega que no m√≠nimo 10% do seu or√ßamento mensal deve ser para garantir o futuro, come√ßando a planear a reforma.

12# Invista em literacia financeira

 

O investimento em conhecimento permite melhorar atitudes financeiras, desenvolver hábitos de poupança e promover o acesso responsável ao crédito, por exemplo.

Não se esqueça que  em matéria de finanças pessoais informação é poder.

 

 

Precisa de mais informação?

Entre em contacto os especialistas do Gabinete de Prote√ß√£o Financeira atrav√©s do telefone¬†213 710 238¬†ou envie-nos as suas d√ļvidas para o¬†protecaofinanceira@deco.pt

 

Mas se o que pretende é orientação financeira especializada ou a  intervenção do Gabinete de Proteção Financeira para a resolução da sua situação então registe-se e apresente-nos a sua situação .

 

 

Ir para:  PROTEÇÃO FINANCEIRA