O dinheiro de plástico está, hoje, muito vulgarizado, existindo uma grande variedade de cartões de plástico no nosso mercado. O cartão de crédito é, provavelmente, aquele que levanta mais dúvidas aos consumidores quanto à sua boa utilização.

 

O cartão de crédito é um instrumento de pagamento emitido por uma instituição de crédito, devidamente autorizada pelo Banco de Portugal, que disponibiliza aos seus titulares, através de um contrato, um conjunto de benefícios e serviços.

 

É essencial saber com funciona o cartão de crédito?

O cartão tem associado um crédito com limite predefinido (plafond), que permite ao consumidor comprar bens ou serviços em estabelecimentos comerciais aderentes, que disponibilizam meios de pagamento através da internet ou de terminais de pagamento automático (TPA), mesmo que o cliente não tenha dinheiro na sua conta bancária.

 

Quando se realiza o pagamento?

O pagamento com este cartão permite ao consumidor pagar o valor da sua compra, em regra, entre 30 a 50 dias, a contar da data da transação. Se pagar em data posterior, estará sujeito a juros.

 

Como se faz o pagamento?

Sendo um empréstimo, o valor em dívida associado ao movimento do cartão pode ser reembolsado em diferentes modalidades:

  • Pagamento de 100% do montante em dívida, até à data-limite, não ficando sujeito à aplicação de juros;
  • Pagamento parcial na data-limite, com a aplicação de juros sobre o montante utilizado e não pago até essa data-limite.

Sempre que possível, opte por pagar de uma só vez o crédito utilizado , evitando o pagamento de juros pela utilização do crédito.

 

De quem é o cartão?

A propriedade do cartão é da entidade emissora. Ao titular do cartão – o consumidor – é concedido o direito de o utilizar.

 

Qual a sua validade?

A sua validade é geralmente de um ano, renovável, podendo ter custos associados decorrentes de anuidade, juros ou comissões.

 

Sabe o que são operações de cash advance?

Alguns cartões de crédito permitem também fazer outras operações: levantamento de dinheiro a crédito (cash advance) ao balcão ou em caixas automáticas ATM. Não obstante, esta possibilidade tem um limite pré-definido e a juros, os mais elevados de todos os créditos.

 

Conhece todos os custos de ter um cartão de crédito?

Ter um cartão de crédito pode ter custos associados, incluindo:

  •  Juros concordantes com a modalidade de reembolso acordada;
  •  Anuidade do cartão;
  • Comissões relacionadas com o levantamento de dinheiro a crédito (cash-advance);
  • Comissões na utilização do cartão no estrangeiro;
  • Juros de mora e comissões por recuperação de valores em dívida, no caso de atraso no pagamento.

 

Todos estes custos associados à utilização do cartão de crédito devem constar do preçário da instituição.

 

Aconselha-se uma utilização rigorosa e moderada

A utilização rigorosa e moderada do cartão de crédito é sempre a mais recomendada, já que poderá evitar algum descontrolo orçamental. O cartão de crédito não é solução para quem está em situação de sobre-endividamento. Neste caso, não deve usar o cartão de crédito ou apenas deverá fazê-lo em condição extrema.

 

Que cuidados deve ter na utilização do cartão?

 

O “dinheiro de plástico” democratizou-se, mas o consumidor deve estar  consciente dos perigos que encerra prevenindo-se do risco de fraude:

  • Não forneça os seus dados pessoais e senhas dos seus cartões bancários;
  • No terminal de pagamento automático, seja discreto;
  • Nas compras, confirme sempre o valor cobrado;
  • Não recorra a sites pouco fidedignos e que solicitam dados bancários em troca de cupões de desconto ou prémios!

 

Quer saber qual a melhor opção para a sua situação?

O Gabinete de Proteção Financeira dá-lhe orientação.
Fale com os nossos especialistas através do número 213 710 238, ou envie-nos as suas dúvidas para o email protecaofinanceira@deco.pt .