Para muitas fam√≠lias conseguirem que o dinheiro chegue at√© ao final do m√™s √© uma verdadeira aventura e¬† implica muita ginastica or√ßamental.¬† Falar da import√Ęncia da¬† poupan√ßa¬† √© quase tabu.

 

Mas, é possível  poupar adotando novos hábitos ou comportamentos, de modo a reduzir custos.

O que é a poupança?

A poupança é a parte do rendimento disponível que não é consumida. Poupar exige que não se consuma todo o rendimento.

Poupar é não gastar hoje para gastar no futuro.

 

Por onde começar?

Uma boa forma de começar a poupar é definir um objetivo.

Por exemplo,  definir como objetivo  fazer um fundo de emergência,  para dar de entrada para a compra da casa, para acautelar a diminuição de rendimento na reforma,  por exemplo.

Tendo por base o, será mais fácil definir o horizonte temporal da tua poupança, isto porque o objetivo pode ser de curto ou de longo prazo.

√Č importante saber quanto tempo p√© necess√°rio ara conseguir¬† atingir o¬† objetivo.

Quando e quanto se deve poupar?

Todos os meses, ou sempre que possível e com regularidade, as famílias devem retirar uma parte dos seus rendimento para uma poupança.

 

O ideal seriam 10% do rendimento, no entanto esta avaliação terá que ser feita, caso a caso.

 

Fazer um orçamento familiar ajuda?

Ajuda, e é um bom instrumento para gerir o dinheiro. Deve começar  por se  registar o que  recebe e o que gasta diariamente, com este exercício conseguirá chegar-se ao fim do mês e fazer rapidamente uma soma de todos  gastos mensais.

Tão importante como o que gasta é o que recebe.

 

No final do mês o saldo não deve ser negativo porque significa que gastou mais do que aquilo que tem.

Deve envolver-se toda a família. Este é um excelente ponto de partida para uma boa gestão financeira e o inicio para fazer o seu orçamento familiar.

 

 

√Č poss√≠vel reduzir os gastos no dia-a-dia?

 

√Č, exige alguma disciplina. Assim, antes de¬† realizar uma compra, mesmo¬† de um valor reduzido, deve¬† pensar durante 10 segundos¬†nas seguintes quest√Ķes:

  • Ser√° que necessito mesmo disto?
  • Se necessito, ser√° que n√£o existe uma alternativa mais barata?

 

Apenas devemos comprar o que verdadeiramente necessitamos e que está previsto no nosso orçamento familiar.

 

Nunca se deve esquecer que fazer compras por impulso… pode arruinar o orçamento.

 

Quando não se consegue resistir  deve privilegiar-se andar com pouco dinheiro, notas e moedas, na carteira, evitar utilizar o cartão de crédito.

√Č verdade que no dia a dia h√° sempre pequenas coisas nas quais podemos agastar dinheiro sem nos apercebermos como o pequeno almo√ßo fora de casa, os caf√©s ao longo do dia, um bolo¬† (‚Ķ) temos que controlar o que gastamos mesmo que sejam apenas moedas.

 

Definir as despesas é uma boa estratégia?

 

Sem d√ļvida.¬†¬†Os gastos com as compras de supermercado t√™m um grande peso no or√ßamento familiar pelo que √© fundamental planear e controlar as mesmas,¬† para que n√£o se fa√ßam¬†¬†compras desnecess√°rias ou, at√©, para evitar as tradicionais compras por impulso.

√Č importante planear para evitar custos extra.

Todos já passámos pela  experiência de  ir ao supermercado comprar apenas uma ou duas coisas que estavam a fazer falta, mas saímos  de lá com um saco cheio e uma conta  muito superior ao que tínhamos imaginado.

E as promo√ß√Ķes,¬† quem resiste √†quela promo√ß√£o de 50%?

E a experimentar aquele  chocolate  novo anunciado na televisão?

Sim… não é fácil, mas se queremos economizar o  melhor é pensar em casa no que é essencial comprar, fazer uma lista de compras e cumpri-la na hora das compras. Não se esqueça de comprar os preços, por isso vá com algum tempo às compras.

Este comportamento permite realmente economizar dinheiro e   também evita o desperdício de alimentos.

√Č muito importante planear e controlar o or√ßamento familiar com vista a atingir as metas que tenham sido definidas antecipadamente.

 

√Č aconselh√°vel criar uma¬† rotina mensal para a poupan√ßa?

Poupar sempre… no início do mês e não no fim. No fim não sobra nada.

 

Poupa-se não o que sobra, mas o que se definiu como objetivo. A poupança tem que ser um objetivo que se definiu para alcançar uma meta. A meta somos nós que a definimos e pode ser um jantar, umas férias, um carro, uma poupança para a reforma….

 

N√£o podemos esquecer que a poupan√ßa deve ter tamb√©m como finalidade prevenir situa√ß√Ķes imprevistas que possam acarretar o aumento das despesas ou a redu√ß√£o do rendimento.

 

Ora, a poupança não é mais do que a parcela do nosso rendimento que não é gasto no período em que é recebido e, por consequência, é guardado para ser utilizado num momento futuro. E deve ser no início do mês que deve ser retirada e destinada à poupança.

 

O que fazer com a poupança?

 

Tão importante como estabelecer objetivos e metas é  fazer um investimento responsável da poupança. O dinheiro parado perde valor. Assim as perguntas que se colocam é:

  • como fazer crescer o seu dinheiro com a poupan√ßa?
  • Como e onde aplic√°-lo de forma a que este fomente de forma sistem√°tica e sem oscila√ß√Ķes?

Deve come√ßar¬† por se escolher aplica√ß√Ķes financeiras adequadas aos objetivos definidos,¬† n√£o se devem assumir riscos¬† desconhecido e a rendibilidade da aplica√ß√£o deve¬† estar de acordo com as expectativas. S√£o m√ļltiplos os produtos financeiros dispon√≠veis para aplicar a poupan√ßa.

 

Tão importante como definir a quantia a poupar é conhecer as regras para um investimento responsável. Uma informação errada ou insuficiente pode originar perdas significativas e riscos elevados.

 

Como  aplicar o dinheiro da poupança?

Na hora de aplicar o dinheiro da poupança há alguns aspetos a ter em conta:

    • Conhecer as carater√≠sticas¬† das aplica√ß√Ķes escolhidas;
    • Avaliar previamente os seus riscos;
    • Acompanhar o comportamento das aplica√ß√Ķes ao longo do tempo;
    • Analisar as alternativas dispon√≠veis no mercado.

Deve ainda:

    • Evitar por em risco a poupan√ßa do agregado familiar;
    • Ponderar a diversifica√ß√£o¬† das aplica√ß√Ķes financeiras.

 

Conte sempre com o nosso apoio e  informação. Assista ao nosso vídeo  sobre como evitar a rutura financeira aqui:

 

 

 

Quer mais informação sobre esta temática?

Fale com os especialistas do Gabinete de Prote√ß√£o Financeira atrav√©s do n√ļmero¬†213 710 238, ou envie-nos as suas d√ļvidas para o¬†e-mail¬†¬†protecaofinanceira@deco.pt

 

Mas se o que pretende é orientação financeira especializada ou a  intervenção do Gabinete de Proteção Financeira para a resolução da sua situação então registe-se e apresente-nos a sua situação .

 

Ir para:  PROTEÇÃO FINANCEIRA