Um ataque armado contra Israel no passado dia 7 provocou centenas de mortos e feridos, e a ao que tudo indica foram, ainda, feitos ref√©ns. A situa√ß√£o altamente inst√°vel e a declara√ß√£o de estado de guerra em Israel tornam evidente n√£o estarem reunidas condi√ß√Ķes de seguran√ßa para viajar no imediato. Saiba o que pode fazer se tiver uma viagem marcada ou se ainda estiver no territ√≥rio.

 

Se ainda se encontra no território

Os viajantes portugueses dever√£o seguir escrupulosamente as orienta√ß√Ķes das autoridades israelitas. Caso necessite de apoio para deixar o pa√≠s deve contactar os servi√ßos consulares.

Caso se trate de uma viagem organizada, contacte a sua agência de viagens, que deverá prestar assistência.

 

Se tem uma viagem marcada
  1. Comprou de forma isolada bilhete(s) de avi√£o

 

Verifique se o voo foi cancelado. Muitos voos est√£o a ser cancelados por iniciativa das companhias a√©reas que, face √† situa√ß√£o atual, est√£o a restringir voos de e para Israel. N√£o sendo o caso, verifique a tarifa contratada e se a mesma permite o reembolso ou remarca√ß√£o, bem como as condi√ß√Ķes de transporte da transportadora que podem e devem prever o tratamento de circunst√Ęncias extraordin√°rias. Contacte atempadamente a transportadora.

 

Se a transportadora em causa for a TAP, saiba que a companhia suspendeu os voos para e de Telavive, e que de acordo com a informação disponibilizada no seu website, os passageiros com voos marcados até final de outubro podem remarcá-los sem custos adicionais ou pedir o reembolso do valor.

 

Se tiver reservado alojamento de forma independente, siga os mesmos passos. Verifique, ainda, as condi√ß√Ķes do seguro se tiver contratado um.

 

  1. Comprou uma viagem organizada

 

Atendendo √† situa√ß√£o atual a seguran√ßa poder√° estar comprometida. No dia 7 de outubro foi emitido um primeiro aviso no Portal das Comunidades Portuguesas que recomendava a m√°xima prud√™ncia em todas as desloca√ß√Ķes e pondera√ß√£o acerca da realiza√ß√£o de viagens n√£o essenciais para o Estado de Israel. Agora, a recomenda√ß√£o oficial √©, ainda, mais firme: face aos acontecimentos em curso, todas as viagens a Israel devem ser evitadas (atualiza√ß√£o de 16 de outubro).

 

√Č, assim, esperado que num horizonte temporal pr√≥ximo a ag√™ncia de viagens se veja impedida de executar o contrato atendendo √† situa√ß√£o, devendo, nesse caso, informar o viajante, sem demora injustificada, antes do in√≠cio da viagem organizada e proceder posteriormente ao reembolso integral do pagamento efetuado.

 

Da mesma forma, e atendendo às características específicas da viagem (nomeadamente em termos de destino(s), datas, etc), poderá acontecer que, antes do início da viagem, a agência se veja obrigada a alterar significativamente alguma das características principais dos serviços de viagem (por exemplo, o destino, o itinerário e os períodos de estadia), podendo, nessa hipótese, o viajante, num prazo razoável fixado pela agência, aceitar a alteração proposta ou rescindir o contrato, sem qualquer penalização.

 

Al√©m disso, os viajantes podem sempre rescindir o contrato de viagem organizada a todo o tempo, antes do in√≠cio da viagem, situa√ß√£o em que, regra geral, poder√£o ter de pagar uma taxa de rescis√£o. No caso, por√©m, de se verificarem circunst√Ęncias inevit√°veis e excecionais no local de destino ou na sua proximidade imediata que afetem consideravelmente a realiza√ß√£o da viagem ou o transporte dos passageiros para o destino, como ser√° o caso atual de Israel, o viajante tem direito a rescindir o contrato antes do in√≠cio da mesma sem pagar qualquer taxa de rescis√£o.

 

A an√°lise da situa√ß√£o carecer√° de permanente atualiza√ß√£o, aconselhamos, por isso, a acompanhar a informa√ß√£o no Portal das Comunidades, na se√ß√£o ‚Äď conselhos aos viajantes e a contactar a sua ag√™ncia de viagens atempadamente.

 

Em caso de d√ļvida sobre os seus direitos, contacte a DECO atrav√©s do n√ļmero de telefone 21 371 02 00 ou do email deco@deco.pt.