A SUSTENTABILIDADE, O DIGITAL, A HABITAÇÃO E A PROTEÇÃO DOS CONSUMIDORES ECONOMICAMENTE VULNERÁVEIS CONSTITUEM AS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A DECO NAS AUTÁRQUICAS 21-25.

A DECO apresenta a sua Agenda do Consumidor para as Autárquias Locais, definindo 4 prioridades para os próximos anos: a Sustentabilidade, a Transição Digital, a Habitação e a Proteção dos consumidores economicamente vulneráveis.

Acelerar a desindexação da tarifa de resíduos ao consumo de água, alargar os pontos de acesso gratuitos com rede Wi-Fi, criar balcões municipais de habitação e reforçar o Fundo Municipal de Emergência Social são algumas das medidas que constam desta Agenda e traduzem a voz do consumidor naquelas que são as suas necessidades locais.

A DECO considera que a pressão digital, a adaptação às alterações climáticas, o acesso à habitação e a proteção social dos consumidores serão, certamente, alguns dos maiores desafios que os municípios irão enfrentar, pelo que só centrando as políticas locais no cidadão é que se alcançará uma melhor qualidade de vida e bem-estar dos munícipes.

“Muitos consumidores perderam o seu rendimento, as suas economias e outros encontram-se, atualmente em situação de dificuldade, e, até mesmo em risco de exclusão social, pelo que as autarquias locais têm uma responsabilidade acrescida em mitigar as lesões provocadas pela pandemia do COVID-19” refere Ana Tapadinhas, Diretora-Geral da DECO.

Para contribuir para esta mitigação, a DECO apresenta, agora, um conjunto de recomendações essenciais para tornar a proteção do consumidor local mais justa, inteligente e inclusiva, que pode conhecer aqui ou através deste documento interativo: